MAUS TRATOS AOS ANIMAIS


MAUS TRATOS AOS ANIMAIS-qualquer cidadão pode fazer a denuncia: CRMV- Unidade Regional do Sul de Minas Gerais. Delegado Dr. Marden. 35/ 3221-5673. Horário: 8 ao meio dia, 13 até 17 h. E-mail: crmvmg.suldeminas@crmvmg.gov.br

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

V






VELHOS DISCOS


Todos empoeirados,
Displicentemente aflitos
Os velhos discos na estante da sala.

Um túnel do tempo,
Delírios, olhares...
Antigos luares do som,

Fumaças que trazem cigarros,
Meninas, violas, esquinas...
Numa só canção.

Todos amarelados,
Bossa Nova, Beatles...
Todos velhos mitos na estante da sala.

Todos empoeirados,
Bem ali, meio aflitos...
Todos velhos discos na estante da alma.






























































































 

 

 

 

 

 

 

VELA ACESA


Da soleira da porta avisto
A chama alta, farta  e esplendorosa
Da vela num pires de porcelana.
Aspiro o odor cálido que emana
E vejo reacender belas lembranças...

...Crianças cantam em volta da mesa:

“Parabéns pra você...”e eu tento

Apagar a chama que logo ressurge;
Na impaciência, pois meu tempo urge,
Escondo a vela num pote de grude...

... Noite estrelada vai criando  um “clima”.
A mesa na penumbra e o garçom, discreto,
Acende a vela e teu olhar inflama.
Como despedida da vida mundana,
Toma minhas mãos e diz que me ama.

Da soleira da porta avisto
A chama alta, farta e angustiante...
Uma lágrima de cera, no pires, desce;
Um odor fúnebre emana, entristece
E feias lembranças reaparecem...

...Quando chorei por meu irmão amado;
...Quando roguei para que Deus me acordasse
Do “pesadelo”que levou meu amigo,
Meu herói, meu cais, meu pai, meu abrigo...
E a vela lá, queimando comigo...






VAI, VAI, BRASIL
Desbaratinando, descentralizando,
Vai, vai, Brasil.
Varonil de direita, juventude eleita
Vai desmoronar
Visualizando, barriga roncando
Vai, vai, Brasil
Gentil de fome, atropela o homem
Vai te matar
Mauricinho gritando, trombadinha roubando
Vai, vai, Brasil
Verde, amarelo pobreza, distribuindo riqueza
No exterior.
Descolorindo o breque, falsificando o cheque
Vai, vai, Brasil
Gigante por natureza, papéis cobrindo a mesa
Na CPI do horror!



VAZÃO SERTANEJO

Se um dia quiser companhia
Pede pro dia
Ou se quiser solidão
Pede pro chão
E se quiser ir embora
Segue na aurora
No vento, o corpo suado
Oferte pro lago
No céu, pro luar esquecido
Entregue o sorriso
E quando quiser fazer verso
Na chuva por certo
Depois, no fim da toada
Vá junto da estrada
Na fuga, siga o realejo
Vazão sertanejo.




VIOLEIRO E CANTADOR


Violeiro e cantador
Já nasci predestinado
Faço fundo pro amor
No romance dos amados.

Minha escola é musical
O B, A, BA é DÓ, RÉ, MI
A minha estrada é o FÁ, SOL
Meu horizonte é o LÁ, SI.

Meu passado é sertanejo
Meu presente é popular
O pesadelo é sempre o mesmo
O de não poder cantar.

Meu futuro é noite e dia
Sem rumo certo, só canção
Meu despertar é boemia
O meu amor, o violão.

Vou cantando minha história
Para os que querem ouvir
E o consolo da viola
É alento para seguir.

Meu passado é sertanejo
Meu presente é popular
Meu futuro é realejo
E liberdade pra cantar
 





EPTV SUL DE MINAS