MAUS TRATOS AOS ANIMAIS


MAUS TRATOS AOS ANIMAIS-qualquer cidadão pode fazer a denuncia: CRMV- Unidade Regional do Sul de Minas Gerais. Delegado Dr. Marden. 35/ 3221-5673. Horário: 8 ao meio dia, 13 até 17 h. E-mail: crmvmg.suldeminas@crmvmg.gov.br

sábado, 16 de maio de 2015

E em meu leito clareia...


Quando vemos amigos partindo, ídolos morrendo, percebendo que metade de nossa família se foi, a gente até se acostuma com a morte, na esperança de revê-los, um a um, e mais um pouco, que se encontra do lado de lá e a couraça da vida nos fez esquecer...

Por isso é que decidi, quando eu morrer fica tranquilo se for meu amigo ou meu amor, zelarei por ti lá do outro lado até sua chegada. Porém, se for inimigo, te prepara pois, num inverno frio como esse, na noite, pegarei teu pé, sussurrarei em teu ouvido, até não mais conseguires dormir... Por isso corre, faz as pazes comigo, ainda dá tempo, faça como o vento que rugiu na janela e logo se acalmou. 
Lá do outro lado estarei tão feliz por rever a pessoa do meu agrado, meu eterno amor, aquele que esqueci, porém não tiro da alma, quem sabe te esqueça... Também meus amigos, familiares, os anjos que me acompanham aqui e sei, não fui fácil!! Foram heróis!!
Mas aguarde, tenho só 54 anos, daqui a pouco 55, quem sabe quando, quem sabe quando...
No momento, ouvindo Fagner, eu sei que a vida valeu a pena! A felicidade corre sem parar, bela é uma cidade velha...
A cerveja é subzero! hahahaha
E Zeca Baleiro diz: em meu leito clareia...
Também ando devagar Amir, é preciso...
Descobri que a  minha vida é falsa, que a deles anda tranquilamente, a minha que parou. E agora. pra onde vou?

domingo, 10 de maio de 2015

Reflexão do dia das mães: O que estamos dando para nossos filhos comerem?


Hungría quema todos los cultivos de transgénicos de Monsanto

Reflexão para as mães nesse seu dia, para que pesquisem sobre alimentação de seus filhos. O que estamos colocando mas mesas? É obrigação de mãe e cidadã nos aprofundarmos nesse assunto. Não fique de fora, esse alimento está entrando no nosso dia a dia.



Transgênicos causam até três vezes mais câncer em ratos, diz estudo



Vai continuar de fora? Mãe cuida! Então o mínimo que podemos fazer é pesquisar mais sobre o assunto!

Feliz Dia das Mães!

sábado, 9 de maio de 2015

Comissão de Direitos Humanos dessa vez acerta na escolha!



O Coronel Telhada é o mais novo representante da comissão dos direitos humanos e muita gente já está protestando. Bom, em meio a tanta corrupção, tanta roubalheira e tanta violência, tanto no dia a dia como na saúde pública, até que enfim uma boa notícia! O Coronel Telhada sempre se preocupou com o ser humano, muito justo que assuma esse posto. Sim gente, sem hipocrisia, porque bandido não é ser humano, é desumano. Vamos nos ater aos desnutridos da Somália, aos sobreviventes das guerras no Oriente, às mulheres tão massacradas, aos pobres, aos discriminados, ás vítimas de estupro, as vítimas de um sistema falido e tantos etc., etc., todos eles são defendidos por profissionais como nosso Coronel, já os bandidos, esses existem em todos os lugares inclusive na polícia, mas na comissão de direitos humanos não pode se perder tempo generalizando. 
Seja muito bem vindo Coronel! Parabéns!
A Comissão de Direitos Humanos dessa vez acertou na escolha! Ou vocês acham certo que o representante seja um homofóbico, como o Feliciano? Ah! Façam-me o favor...

domingo, 3 de maio de 2015

Dualidade




Reviver..... reescrever, não sabemos o que queremos mas há algo que nos liga, ou sabemos sim... mas a reescrita passa pelo passado que derruba a caneta e amassa a folha... e quantas folhas já foram amassadas nessa tentativa de uma nova vida, o inicio de um rabisco, não esta perfeito, não esta certo, eu tenho medo de errar outra vez, e nisso os autores desse livro não continuam essa história, trágica e cômica até então, iniciada por um "era uma vez" que como em um conto infantil terminaria em um felizes para sempre, mas como um drama de Shakespeare as personagens morrem no final, mas morrem mesmo? Morrem ou erram de vagões? Pegam trens distintos e seguem por caminhos tortuosos e nebulosos, a caneta sem o papel, o papel sem a caneta... e a história não é continuada, não como antes, mas agora por memórias, versões, quase sempre trágicas, seguidas por decisões precipitadas como pular do trem e retomar a estação.. mas de que adianta se ela não existe mais? O tempo e a poeira a apagaram, mas não apagaram um rastro de tinta que ligava a caneta ao papel, e que mesmo em lugares tão distantes tornaram se a encontrar e seguir a história (ou não), não como antes, mas juntaram as versões e colocaram em um registro, que dava sequencia ao livro. E agora? O que vamos fazer? Se a caneta tem medo de borrar o papel com sua tinta negra e por isso o evita, como essa história termina? Ela não termina, pois a história é maior do que o registro escrito, ela é vivida e guardada em uma parte pulsante da existência, que faz o ser humano viver.... e a caneta continuara a escrever no papel, pra sempre, so não sabemos o teor da escrita. E me perdoem os desvios gramaticais, pois a caneta e o papel não raciocinam muito bem quando próximos, eles apenas vivem!
.
.
Diogo Padilha

EPTV SUL DE MINAS